Um Zoom no Whistler Bike Park – voltamos!

Lançamento da Stumpjumper na Zoom!
15/05/2018
Zoom Bike Park no Acampamento Outside de Aventura
14/11/2018

Em 2016, Márcio Prado, do Zoom Bike Park, recebeu o certificado da PMBIA (Professional Mountain Bike Instructors Association) como instrutor de Mountain Bike Nível 1, em Whistler no Canadá. Se quiser saber como foi essa aventura clique aqui.

Em abril desse ano, foi a vez do César Roberto conquistar a certificação PMBIA nível 1 em uma turma formada em Santiago do Chile.

Em junho, para dar sequência na formação sobre técnicas de Moutain Bike, Marcio e César viajaram novamente para realizar uma clínica preparatória de certificação de nível 2. E, na viagem, tiveram a companhia do amigo e um dos apoiadores do Zoom Bike Park, o Tom da empresa Tectom, um papel importante em relação a experiência de instrução que tivemos.

Relato da viagem

Antes de seguir para Whistler, passamos os três primeiros dias em uma região chamada Sunshine Coast, próximo a Vancouver, hospedados em um hostel bastante aconchegante chamado Up the Creek, em Robert’s Creek, uma área repleta de trilhas públicas para Mountain Bike.

Escolhemos esta região pela indicação do amigo e super piloto Caio Susarte, pela qualidade e criatividade das trilhas deste pedaço e também para vermos um Bike Park de menor porte, algo que se assemelhasse mais com a nossa realidade no Brasil.

As trilhas públicas são de uma qualidade ímpar, traçados extremamente divertidos na mais pura essência das Flow Trails e, também, pela manutenção primorosa.

Pedalamos por dois dias em mais de 40km de trilhas, e experimentamos os famosos shores, como são chamadas as mais diversas passarelas em madeira que deixam a trilha lúdica, divertida e dá aquela apimentada na experiência.

Depois de colher informações com pessoal local, pedalamos sozinhos com o auxílio do Trail Forks, aqui você pode saber mais sobre esse aplicativo.

No terceiro dia em Sunshine Coast conhecemos o Coast Gravity Park, um bike park voltado ao estilo Downhill, com traçados de trilhas nos davam a impressão de montanhas russas, com diversos mergulhos e mudanças abruptas de direção, tornando a experiencia muito emocionante, veja aqui o local.  Este bike park contava com infraestrutura bem simples com aproximadamente 80 pessoas pedalando em um dia, tinha um ar tranquilo e descolado ao mesmo tempo. Vale muito para quem pensa em conhecer Whistler e quer ter este contraste.

No quarto chegamos em Whistler, cidade muito famosa pelo Ski e Snowboarding no inverno, mas, no verão, o Mountain Bike domina a cena. Foi nessa cidade que fizemos o curso de aperfeiçoamento no Whistler Bike Park e nas trilhas do entorno.


O curso

O curso durou 4 dias, com 6 horas diárias de treino em vários tipos de terreno e condições climáticas difíceis: as temperaturas variavam de 05 a 10 graus, além de muita chuva.

Durante o aprendizado, repassamos Six Skill System, ou pirâmide das 6 habilidades, parte da metodologia que contribui para maior consciência dos movimentos executados sobre a bicicleta, para a construção de uma base sólida e segura para o esporte ser desfrutado com mais diversão e desempenho.

 

Também aprimoramos as técnicas que quebram paradigmas como as descidas íngremes e as curvas:

  • Descidas muito íngremes: você deve usar também o freio dianteiro de forma consistente para mais controle, estabilidade e segurança. O quadril não deve ir para trás do selim, e sim estar centralizado em relação aos eixos das rodas.
  • Realização de uma boa curva: depende da capacidade de escanear o terreno, do controle de frenagem e manter uma posição corporal equilibrada ao centro da bike, além da rotação de quadril.

Um dos fatos mais marcantes foi ver o nosso amigo Tom expandindo as suas habilidades no esporte e descobrindo outras nuances do esporte. E isso foi muito importante, pois pudemos observar diversas técnicas e sacadas de instrução.


Experiência no Canadá

No Canadá é muito fácil respirar o esporte, além dos Bike Parks, há diversos sistemas de trilhas públicas de MTB. É comum ver crianças pedalando ao lado de ciclistas muito experientes.

Assim como no Brasil as crianças praticam futebol desde pequenas, no Canadá elas praticamente nascem com uma bike nos pés.

O Whistler Bike Park oferece um programa de instrução para cerca de 200 crianças entre 4 e 12 anos que participam duas vezes por semana, chamado DFX (Downhill, Freeride e Cross Country) que tem como propósito apresentar o esporte de forma abrangente, formando um Mountain Biker completo e, segundo um amigo que mora na cidade, Flávio Kodato, contribuí na formação de melhores seres humanos.

Quando estávamos no Coast Gravity Park, uma menina que aparentava ter mais ou menos 12 anos nos deixou no chinelo. Em 100 metros de pista, não conseguimos acompanhar!

Além dos pequenos, muitas mulheres praticam o esporte, inclusive, existe um programa chamado Women Nights que chega a reunir cerca de 140 ciclistas.

O grupo é composto por mulheres de diversas idades, desde iniciantes até as experts em MTB e todas as pedaladas acabam com um Happy Hour. Inclusive, quem nos deu aulas no curso foi uma mulher incrível, a Jo, instrutora do Whistler e da Zep Techinics.

A convide do  Flávio Kodato, pedalamos em diversas trilhas públicas em Whistler e em Squamish. Ele é um brasileito mountain biker das antigas que vive com a família em Whistler.

Para conhecer mais sobre esse incrível bike park clique aqui.

 


Possibilidades e desafios do MTB no Brasil

As vendas de MTB têm crescido no Brasil, de acordo com a procura por um esporte que ajude a manter a boa forma, melhore a saúde e contribua para o relaxamento, longe da correria cotidiana. Além disso, o Mountain Bike proporciona contato com a natureza, adrenalina e diversão.

Porém, a maioria dos iniciantes no esporte o pratica em estradas de terra ou asfalto e usam muito pouco as trilhas, por dois motivos:

  1. É comum amigos mais experientes levarem iniciantes do esporte para trilhas difíceis, sem levar em conta o processo de aprendizado de cada um. Com medo nessas primeiras experiências mal conduzidas, muitos iniciantes desistem de pedalar em trilhas.
  2. Difícil acesso e falta de manutenção e sinalização das trilhas.

Para o esporte ganhar visibilidade e crescer no Brasil, é necessário organizar as trilhas e sinalizá-las, oferecer progressão passo a passo aos iniciantes e disseminar a importância da técnica para uma boa pedalada.

 

A experiência foi incrível e só aumenta a vontade que o Zoom tem de popularizar o esporte no Brasil. Para quem tiver a oportunidade de ir para Whistler vivenciar as trilhas, vá! Mas não se prenda apenas a Whistler, visitem e pedalem em Sunshine Coast, Squamish e Pemberton. O ar é outro e o incentivo também.

E, se ainda não puder visitar esses lugares, busquem orientações e conheçam novas trilhas, no Brasil existem diversos lugares para a prática do MTB.

Aqui você pode conhecer algumas trilhas de Campos do Jordão.